Curiosidades

Muito mais do que um saca-rolhas

Para os verdadeiros simpatizantes há vários utensílios que ajudam a servir e conservar o vinho

Quem gosta de apreciar vinho tem disponíveis vários equipamentos e utensílios para a sua conservação. E há outros que ajudam a servi-lo à mesa, de forma a se poder tirar partido de todas as suas potencialidades. Desde o óbvio saca-rolhas aos para-pingos, bombas de vácuo e rolhas de borracha às caves de vinho, são diversos os utensílios destinados a facilitar a vida aos apreciadores.

Corta cápsulas
Antes de se retirar a rolha do gargalo, há que remover a cápsula. Pode usar-se uma faca, que integre ou não o saca-rolhas, ou um corta cápsulas. É um objeto prático, com lâminas circulares que cortam com facilidade o revestimento superior das garrafas.

Saca-rolhas
O universo dos saca-rolhas é variado. Os mais comuns são os que têm rosca, o que ajuda à sua introdução nas rolhas. Mas também há os que incluem uma agulha através do qual se insufla ar para dentro da garrafa. No entanto, em termos práticos o melhor mesmo é ter um saca-rolhas tradicional, semelhante aos que são usados em muitos restaurantes. Têm uma forma de apoiar o esforço de retirar a rolha no gargalo da garrafa e incluem uma pequena faca incorporada, ou outro tipo de objeto que ajude a cortar as cápsulas tanto melhor.

Decantador
Os decantadores são feitos de vidro e podem ter formas variadas. A sua principal função é ajudar o vinho a respirar. Primeiro, quando se verte a partir da garrafa. Depois, por causa de contribuírem, pelo seu volume, para aumentar o contacto da superfície do líquido com o ar, o que facilita as trocas gasosas e a libertação dos aromas.

Funil
É um apoio para decantar o vinho, que torna a operação mais segura. Para além de evitar que se entorne, contribui para reter os sedimentos do vinho numa pequena rede localizada antes do cano.

Manga de gelo
Desempenha um papel similar ao balde de gelo. Feita de plástico ou outro tipo de material, adapta-se à forma da garrafa. Antes de ser usada, tem de ser colocada no congelador do frigorífico, para solidificar o líquido que tem no seu interior. Menos eficaz que o balde de gelo é, no entanto, mais prática de usar. Basta retirá-la do frigorífico e colocá-la sobre a garrafa.

Bomba de vácuo e rolhas de borracha
Muitas pessoas preferem não abrir uma garrafa de vinho, pois temem que este possa perder a qualidade se não se beber toda. Mas isso geralmente não ocorre quando se consegue rolhar de novo a garrafa, que deve ser colocada no frigorífico. Desta forma o vinho resiste pelo menos uma semana, apesar de ir perdendo parte das suas características após um par de dias. Convém servir o copo um pouco antes da refeição, para que o líquido não chegue excessivamente frio à mesa.

Também há, para este caso, alguns utensílios que ajudam a conservar o vinho em garrafas abertas. São as bombas de vácuo que, em conjunto com as tampas de borracha em rosca, ajudam a evitar a ação do ar que sobra na garrafa sobre o vinho. Basta colocar a bomba sobre a tampa e bombear o ar para fora da garrafa, criando vácuo no interior.

Tampas para espumante
Feitas geralmente de metal, estas rolhas, essenciais para quem gosta de espumante e não consegue beber uma garrafa inteira por falta de parceiros, ajudam a conservar as características deste vinho, principalmente as indispensáveis fiadas de bolhas que se vão libertando. Por isso, incluem um sector de plástico ou borracha que sela o topo do gargalo, e um dispositivo que segura a tampa firmemente no seu rebordo, para impedir que salte devido à pressão do gás. Umas são mais eficazes que outras, mas qualquer uma ajuda a conservar as características do espumante pelo menos dois dias.

Termómetros
Quando são servidos à temperatura mais correta, melhor os vinhos confirmam todo o seu potencial de aromas e sabores. Para conseguir que isso aconteça, convém ter em casa um termómetro. Há várias opções. Podem ser muito semelhantes aos tradicionais para medir a febre, que se mergulham no líquido. Mas também há os digitais, que medem a temperatura do vinho quando são postos sobre o gargalo ou o copo. Os mais sofisticados têm armazenadas as temperaturas mais correctas para cada tipo de vinho, casta e região, ajudando quem os bebe a fazê-lo da forma mais adequada.

Caves climatizadas
Há hoje à venda vários armários especiais para conservar os vinhos em ambiente favorável à sua conservação. As suas dimensões e forma são variáveis e podem ir desde as pequenas dimensões, para alguma dezenas de garrafas, até aos construídos no local, que são usados em muitos hotéis e restaurantes. Muitas das caves climatizadas têm prateleiras com temperaturas diferentes, o que contribui, para além da conservação do vinho, para garantir que chega à temperatura correta à mesa.